Wednesday, April 4, 2012

Enfoques Diferentes de Tutorias de Ingles en Linea


¡Bienvenidos a mi blog!

En este post, voy hablar de dos estilos que he visto en la tutoría de ingles en línea, luego explicare mi el mio.

El primer enfoque que he observado es lo que podemos llamar, el salón de clase en línea. Esta seria la forma más común que muchas instituciones usarían: Utilizando un software convencional, tratan de replicar lo más exacto posible una estructura de clase tradicional de escuela secundaria o universitaria, trabajando a partir de materiales que se completan paso a paso. Normalmente, clases grupales se dictan de esta manera, sin embargo esta forma de enseñanza también es utilizada en tutorías personalizadas. Este estilo de clase es adecuado para personas que buscan una experiencia estructurada, pero es poco natural, dando lugar a situaciones en las que por ejemplo, un estudiante memoriza una frase o patrón que ha sido previamente revisado en clase, pero tendrá problemas empleándolo a nivel escrito o conversacional.

El segundo enfoque es en muchos sentidos lo opuesto al primero, y es una forma común que se utiliza para aprender idiomas de forma gratuita en internet o cualquier lugar; simplemente basta con tener un compañero de conversación este sistema es efectivo especialmente cuando se combina con una inmersión total. El estilo basado en conversación, ofrece una base solida para el aprendizaje de idiomas, desafiando a los estudiantes a absorber el idioma en uso. Un tutor, que este dando una buena clase, querrá naturalmente conversar con su estudiante. Sin embargo la utilidad de un conversación libre dependerá principalmente en el talento de la enseñanza del compañero. Es difícil corregir errores y mantener el flujo de una conversación natural, muchas veces el alumno entenderá el significado, solo por el contexto, pudiéndose llevar una idea aproximada e imprecisa de una palabra o frase y su uso.

Mi enfoque personal esta basado en lectura guiada en voz alta, combinándolo con aspectos de los estilos anteriormente mencionados.  Normalmente mis estudiantes leen en voz alta un texto, por ejemplo una revista o articulo de periódico que les interesa. Hacemos una pausa después de cada frase, de cada párrafo y revisamos pronunciación y comprensión al mismo tiempo. A medida que avanzamos, pongo en relieve las características gramaticales y el uso de palabras y frases en su contexto, también  se utiliza como punto principal de conversación, si el estudiante esta interesado. De esta manera se provee una conversación más estructural que casual, sin dejar de enfatizar en la práctica de ingles y su uso. Naturalmente, me enfocare también, en los intereses de mis estudiantes: Usando libros de gramática y páginas web con artículos complementarios; también puedo preparar al estudiante para entrevistas, dado que estas son esencialmente conversacionales. Utilizo mi método como un punto de partida, para que mis alumnos se puedan adaptar a situaciones particulares. A mi forma de ver, ¡funciona mutuamente!

Espero que mi explicación haya sido útil, si tienes comentarios son bienvenidos.

(Agradecimientos especiales a mi amiga Viviana Guzmán por traducir este post de ingles a español.)

Sunday, April 1, 2012

Diferentes Abordagens de Ensino Online


Bem-Vindos ao meu Blog!

Neste post, eu irei falar sobre duas abordagens que eu tenho visto em relação a aulas de inglês, e explicar a diferenças entre elas da minha maneira.

A primeira maneira de ter aulas de inglês via internet é a chamada "Sala de aula Online". Esta é a convencional forma que muitas instituições dão aulas online: usando um tipo de software educacional, então replicam de diversas maneiras a estrutura tradicional de escolas ou cursos em universidades, trabalhando com materiais preparados para serem terminados um após o outro. Normalmente classes com várias pessoas são ensinadas desta forma, mas eu vi isso com alunos individuais também, Este estilo de ensino apetece pessoas que procuram uma forma bem estruturada online para aprender, porém é menos natural, pois apesar do aluno aprender (ou decorar) a estrutura de uma sentença, eles podem correr o risco de ter sérios problemas na hora de aplicar em uma frase, seja escrevendo ou falando normalmente.

A segunda abordagem é bem diferente da primeira, até mesmo oposta e é uma forma bem comum das pessoas aprenderem outras línguas de graça pela internet ou em qualquer outro lugar: simplesmente tendo uma conversa com um parceiro. Especialmente quando combinados com total imersão, o esnino a base de conversa providencia uma forte base no aprendizado da língua, desafiando os alunos a absorverem completamente o uso da nova língua. O professor irá obviamente querer manter um diálogo com o aluno, mas esse modo de ensino depende também de um talento nato para ensino. É difícil corrigir erros e manter uma conversa fluir naturalmente, e muitas vezes o aluno irá entender o sentido apenas no contexto usado, gerando dúvidas na ideia da palavra em si e na frase, assim como e quando são usadas.

Minha abordadem de ensino é baseada na leitura guiada em voz alta, combinada com um pouco das outras duas abordagens citadas acima. Eu normalmente peço para meus estudantes lerem um texto, como uma revista ou jornal, por exemplo. Algo que eles tenham interesse. Nós damos uma pausa entre uma frase e outra, ou um parágrafo e outro, e verificamos tanto a compreensão do texto como a fluência e pronúncia da língua. Sendo assim, eu destaco estruturas gramaticais e o uso das frases e palavras no contexto, além de usar como um início de conversação, se o aluno estiver interessado. Neste caso, nós usamos mais estrutura gramatical do que conversas casuais, ao mesmo tempo que eu enfatizo o uso prático do Inglês. Eu naturalmente ensino de acordo com o gosto do aluno: eu tenho livros gramaticais e um bom acervo de sites que eu uso como artigos complementares ao ensino, e eu também ajudo a preparar-se para uma boa entrevista, que é muito mais do que uma conversa informal. Entrevistas de emprego, faculdade, universidades precisam de uma boa retórica, argumentação e uma boa estrutura de inglês. Dou aulas para este preparo também. Uso meu método trabalhando junto com os alunos, para que se adaptem em cada situação. Na minha experiência, funciona para ambos os lados!

Espero que você ache essa minha explicação clara e consisa, e sinta-se a vontade para comentar qualquer dúvida que tenha, ou se precisar perguntar alguma coisa!

(Agradecimento em especial a minha amiga Renata Gomes por ter traduzido este post do inglês para o português.)

Thursday, March 29, 2012

A Great Resource for Beginning Learners

Most of my work as a tutor is with intermediate or advanced students, who already understand some basic elements of English. Recently I have received some messages from people who want to start learning basic English, asking for help. One place on the internet that I recommend them to visit is a YouTube channel called "English with Jennifer". Jennifer is an excellent tutor with years of experience who has created a series of over 40 video lessons to help beginners learn. She also has made videos about more advanced topics, and answers questions from many people of all English levels on her website, which is http://www.englishwithjennifer.com. She is helpful and friendly, so I am happy to recommend her to everyone!

Monday, March 19, 2012

Approaches to Online English Tutoring

Welcome to my blog!

In this first post, I'll talk about two approaches to online English tutoring that I have seen, and then explain the differences in my own.

The first approach I've come across is what we can call the online classroom. This is the conventional way many institutions teach: using some sort of educational software, they replicate as much as possible the structure of a traditional high school class or university course, working from prepared materials meant to be completed one step after the other. Typically classes of multiple people are taught this way, but I've seen it used for individuals as well. This style appeals to people seeking a structured experience, but is rarely naturalistic, leading to situations where, for example, a student may memorize a phrase or pattern of speech they have been tested on, but have serious trouble employing it in their own writing, or conversationally.

The second approach is in many respects the opposite of the first, and is a common way for people to learn languages for free on the internet and elsewhere: simply having a conversation partner. Especially when combined with total immersion, a conversation-based style provides a strong foundation for language learning, challenging learners to absorb the language in use. Any tutor who is giving well-rounded lessons will naturally want to converse with students. However, the usefulness of  free-form conversation can depend strongly on the talent of the teaching partner.  It is difficult to correct mistakes and maintain a natural conversational flow, so many times a learner will understand meaning only from context, coming away with a rough and imprecise idea of a word or phrase and how it is used.

My own approach is based on guided reading aloud, combined with some aspects of the other two. I normally have my students read aloud a text, for example a magazine or newspaper article they are interested in. We stop after every few sentences or each paragraph, and check both pronunciation and comprehension at the same time. As we go, I highlight grammatical features and the usage of words and phrases in context, and can use the context as a starting point for conversation, if the student is interested. In this way, I can provide more structure than casual conversation, while still emphasizing practical English in use. I naturally tailor my approach to the preferences of my students: I have grammar books and a number of sites that I use to supplement articles, and I also offer help preparing for interviews, which is much more heavily conversational. I use my method as a starting point, working together with my students to adapt to each unique situation. In my experience, it works well for us both!

I hope you found my explanation useful, and I welcome any comments you may have.